Thor: Ragnarok

Já tem quase um mês que desapareci. Peguei uma baita gripe no feriado do dia 02 e fiquei umas duas semanas quase que impossibilitada de ser criativa ou ter saco pra escrever. E é verdade que ao longo desses dias eu assisti tanta coisa, li algumas outras e estou cheia de resenhas pra trazer.


Na terça-feira após a estreia de Thor estávamos no cinema pra conferir. Li alguma coisa sobre ser um filme engraçado então já sabia que ia rolar muita piada. E confesso que nunca vou com a expectativa no alto por mais fã que eu seja do MCU. Assisto esperando apenas me divertir e quem sabe me surpreender.

No filme da Marvel Studios, "Thor: Ragnarok", Thor é preso do outro lado do universo, sem o seu martelo poderoso e encontra-se numa corrida contra o tempo para voltar a Asgard e impedir Ragnarok - a destruição do seu mundo e o fim da civilização Asgardiana -, que se encontra nas mãos de uma nova e poderosa ameaça, a implacável Hela. Mas, primeiro precisa de sobreviver a uma luta mortal de gladiadores, que o coloca contra um ex-aliado e companheiro Vingador - Hulk.
Primeiro preciso falar sobre o visual do filme: achei espetacular. Essa atmosfera mais colorida me deixa muito confortável. Sobre a história: gostei. Não conheço o Ragnarok dos gibis, apenas os dos livros de mitologia. Não esperava algo trágico demais até porque, apesar do título, o tema central não seria a destruição em si, mas o processo de perdas. Perde-se o martelo. Perde-se no universo. Sabe que seu lar está semi perdido.  Thor precisa se reinventar de certa forma. Ele está diferente, não apenas fisicamente, mas ele não é mais um cara inexpressivo. Ele passou um tempo na Terra, conviveu com humanos e ele não parece mais durão, parece mais humano do que deus. Gosto dessa humanidade dele, a simplicidade de como ele vê as coisas novas, de como trata seus próximos.


Nesse novo filme temos o Loki novamente, meu personagem preferido desse lado da MCU. Ele está mais egocêntrico, coisa que era quase impossível de se imaginar já que ele sempre se tratou como o centro do universo (seria Loki um leonino?). Hulk mostra-se menos humano e mais músculos, mas divertido. Bruce Banner é o cérebro, Hulk não. Os novos personagens são bacanas, porém eu queria ter sentido um pouco mais de ódio da vilã Hela, ela é impiedosa e implacável. Mas não tem como odiar Cate Blanchet. Queria ver mais da cena das Valkírias lutando contra Hela, o visual era impecável! Foi tão rápido...


O filme tem lá seus problemas. Eu só consigo me apegar afetivamente ao Loki, ninguém mais. As piadas estão lá em 90% do filme, mas o filme não está classificado como drama não é mesmo? Gostei bastante do desfecho e das possibilidades que esta abre, além do gancho da cena pós-crédito.  Não vejo a hora de poder rever. Não é o meu filme favorito de todos, mas no quesito Thor é o melhor!

Para finalizar, não deixem de ouvir "Immigrant Song" do Led Zeppelin, que foi música tema no trailer e ouve-se ela em duas grandes ocasiões no filme, que combinam perfeitamente! A letra da música fala sobre Valhala, deuses com martelos e guerras. Parece que escolheram bem né?!

Você já assistiu? Conta pra mim!

XoXo,
Grazy

4 comentários

  1. Ainda esses dias estava no cinema, mas ao invés de escolher Thor, fui de Bad Moms por não querer drama. Pelo visto podia ter assistido Thor mesmo hahaha
    Um filme que me surpreendeu por essa pegada bem humorada também foi King Arthur. Nunca tinha imaginado que seria dessa forma e me surpreendi muito positivamente.
    Adorei o post, abraço!

    ResponderExcluir
  2. "Seria Loki um leonino?" Hahaha! Morrendo de rir Grazy! :)

    ResponderExcluir
  3. Não esperava nada demais devido aos filmes anteriores, porém, apesar de não ser a pegada que eu gosto em filmes de heróis, me agradou bastante. Sim, teve muita piada, mas isso acho que todo mundo já sabia que ia ter, né? Não sei o porquê de reclamarem das piadinhas agora. O lado mais brincalhão combinou com o ator, que não é lá dos melhores.
    Também senti falta de mais cenas das Valquírias.
    Cate Destruidora Blanchet estava espetacular! Já vale ver o filme só por ela.
    Quando tocava Immigrant Song já sabia que ia ter cena boa!!! hiuahiauhu

    ResponderExcluir