Estilos que já segui (BEDA #12)

Perguntei pra algumas amigas blogueiras o que elas gostariam que eu escrevesse aqui no blog. A Bea me sugeriu esse tema e achei bem bacana, até para relembrar e dar risadas, hahahaha. Montei os looks pelo Polyvore e com a minha memória de elefante (pois lembrei de um look de quando eu tinha 14 anos!).

Na infância eu era a bonequinha da mamãe. Filha única, minha mãe me entupia de cor-de-rosa, laços e frufrus. Quando eu entrei na adolescência é claro que meu estilo mudou completamente. Nem digo que foi "revolta", mas na verdade eu estava procurando meu lugar no mundo. Com 13 anos eu cortei os cabelos bem curtinhos, estilo joãozinho, inspirada na Mel da novela O Clone. Usava roupas mais largas, influenciada pelo estilo Girl Power das Spice Girls e pelo fato de eu participar de um grupo de dança na escola. Conforto era imprescindível! Também tive influência skater, tinha um namorado e um grupo de amigos dessa turma, apesar de eu nunca ter andado de skate! Lembro do look que eu usava no aniversário de 13 ou 14 anos de uma amiga: Calça Flare camuflada, blusinha com transparência e bota coturno plataforma. Esse look foi pré-corte joãozinho, onde eu tinha um cabelão ondulado armado pra cacete.


No ensino médio eu dei uma maneirada, preferindo calças um pouco mais justas e roupas mais discretas. Eu tinha um namorado chato na época... Meu cabelo cresceu e eu só voltei a cortar joãozinho na faculdade, onde também tingi os curtos de vermelho. Nessa época eu enlouqueci! Meu estilo era totalmente dramático, com peças muito marcantes. Era quase uma fantasia!! Usei roupas assim até quase o fim da faculdade quando amadureci e tomei um lado mais criativo, porém mais maduro e discreto. Me vêm à lembrança o primeiro jantar de fim de ano da faculdade, onde eu usava uma calça pantalona vermelha, camisa de babados e jaquetinha militar.


Depois que me formei fiquei mais em casa, mas ainda amava colorido. Sempre prezei por cores, peças de brechó e acessórios diferentes. Uso chapéu, lenços, sobreposições. Hoje me sinto mais segura em ser básica e implementar texturas e cores de forma harmoniosa. É claro também que o fato de eu estar acima do peso mudou muito a foma como me visto. Hoje eu compro muitas partes de cima na Zara, prezando cores e estampas mais discretas. Outras peças compro na Marisa, Renner e Riachuelo e em lojinhas perto de casa. Gosto de misturar cores e estampas e brincar com o estilo criativo.

Meu estilo hoje é natural e criativo, mas eu não preciso sair nem básica e nem "paiaça" por aí pra mostrar quem eu sou. Aprendi às duras a me dosar e me sentir confortável e deixar a opinião alheia de lado. Acredito que se encontrar como pessoa na moda, no seu estilo e até mesmo trazer consigo bagagem é o que te cria. Eu ainda gosto do militarismo que eu gostava no início da adolescência e do toque dramático que um chapéu pode dar no look, como eu usava na faculdade. Se antes meu estilo se pronunciava no verão, atualmente espero ansiosamente o inverno para poder me libertar (porque esse verão eu só ando de bermuda e camiseta, hahahaha, saiiii calor!). Hoje me sinto bem comigo, com minhas escolhas! Sempre tenho o que vestir, o que combinar e como fazê-lo sem medo. Quando se chega num equilíbrio poucas peças bastam, perceba! Se na adolescência eu tinha um armário + uma cômoda cheias, hoje eu tenho o armarinho bem arejado!

Ainda bem que não tinha Instagram antigamente...

XoXo,
Grazy

Nenhum comentário