Ser historiador (pelo meu ponto de vista)

Hoje, dia 19, é dia do historiador! Pra quem não sabe eu sou formada em História, bacharel e licenciada. Já ralei nas salas de aula, já fiz trabalhinho voluntário em arquivo histórico e museu, já fiz pesquisa histórica pra um documentário... enfim, é minha paixão. Hoje eu não trabalho mais na área . Hoje, eu planejo um bom canal online onde eu possa "lecionar" de uma forma que atinja muitas pessoas. Logo o plano se concretiza, porém para colocar um bom conteúdo no ar é preciso de muita pesquisa e estudo e me dedico muito a isso!

Então decidi listar alguns momentos que passa um historiador, pelo menos do meu ponto de vista. Vou tentar ser bem humorada, pois dizem que nossa classe é muito séria...



1. Historiador não é calendário (nem enciclopédia)

Sempre que eu digo pra alguém no que sou formada escuto um "ai que legal! Me diz aí o dia em que foi proclamada a república!". Bem, eu sei quem proclamou e quando, mas é chato ficar ouvindo esse tipo de pergunta. Na maioria das vezes o historiador retém certas informações, mas em outras é um amontoado de ideias. Por isso vivemos pesquisando, analisando e preparando o que se vai falar/ensinar. Mas se você quiser realmente saber de algo e eu não souber na hora vou ter o imenso prazer de pesquisar e te contar!

2. Seria um sonho cada historiador ter uma máquina do tempo

Queria o Delorean do "De volta para o Futuro", não para mudar o passado, mas pra saber realmente o que aconteceu, com todos os detalhes. O problema é ir pra um momento muito violento e morrer por lá. Mas seria interessantíssimo relatar como testemunha ocular.

3. Nem todo historiador é de esquerda, não generalize

Eu não sou de esquerda e nunca fui, Desde a faculdade essa ideia não me cabe na cabeça e eu tive péssimos exemplos de pessoas que seguiam por essa escolha. Podem me chamar do que quiserem, mas em relação à política nem direita nem esquerda me satisfazem. Falo por mim, não pela classe. Mas não consigo levantar uma bandeira se ela me apresenta contras. Prefiro fazer minha pesquisa política por pessoa envolvida nesse processo e não pelo partido coligado. Pode ser babaquice, pode ser falta de ética. Mas eu prefiro assim.

4. A profe não é nazista

Na aula da oitava série, uma vez, um dos alunos me perguntou se eu concordava com a ideia do nazismo. E eu ri. Naquele momento eu estava falando dos "porquês" do partido nazista ter ódio dos judeus e o menino olhou assustado pra mim. Depois expliquei pra ele que como professora de história/historiadora a gente tem que fazer todos pensarem nos dois lados e que não há justificativa para os fins. Porém é importante analisar todo o conceito. É assim que aprendemos a diferenciar o certo do errado e a compreender certas escolhas.

5. Vamos dar chance para a classe!

A profissão ainda não está regulamentada, estamos no meio do processo. Por isso o que mais me irrita é visitar um museu ou um arquivo histórico e eles estar às mínguas, acervo com problemas técnicos e sem um único profissional historiador. Poucos ainda são os espaços que tem restaurador/conservador. Alguns meses atrás visitei um museu de uma importância enorme, para a história de Santa Catarina, para a história do Brasil. Deu vontade de chorar, de ir pra um cantinho e bater a cabeça na parede: os números de catalogação da peça estavam escritos em etiquetas de preço (aquelas com bordinhas vermelhas sabe?) e COLADOS na peça. Bem EM CIMA da peça. E eram várias peças nessa situação. Além da cola ser prejudicial à peça o número deve ser registrado de uma forma que não fique aparente e evitando qualquer danificação. Nem preciso dizer que saí do museu com vertigens.

6. Temos muitas teorias para as grandes construções do passado.

Inclusive, nas aulas de história antiga, não era descartado a hipótese alienígena. Não é nada científico, mas não podemos aceitar que estamos sozinhos no universo. Há muitas teorias e debates acerca de livros na temática "eram os deuses astronautas", e todo historiador passa por essas teorias.

7. Pode ser legal casar-se com um historiador

Perguntei pro Robson o que era legal. Ele só disse que "estar casado não é legal" com suas piadinhas infames de sempre. Mas a verdade que eu vejo que ele gosta quando vamos a um museu e eu ensino algo a ele, quando vejo filmes de guerra de boas com ele ou quando a gente fotografa lugares/coisas históricas juntos. No fim, quando estivermos velhos, teremos muito papo. E quanto mais velho e histórico ele fica, mais me interesso por ele, hahaha.

Ser historiador, ou formado em história, tem seus ódios e paixões. No fundo todo mundo gosta de história né não?!


Hoje tá rolando Twittaço em favor da regulamentação da profissão. Senado Aprove! Presidente Sancione! #Historiador(a). Participe você também! Feliz dia do Historiador!

XoXo,
Grazy


12 comentários

  1. Ai, que lindo! Eu sempre gostei de história na escola, era uma das minhas aulas preferidas <3 e quando pequena, eu falava que ia ser arqueóloga, mas a ideia não vingou hahaha
    Olha, se um dia eu precisar de help pra fazer pesquisa história pra alguma história minha, já sei pra quem vou pedir um auxilio hahaha e olha, a parte de pesquisar é uma das minhas preferidas <3
    "E quanto mais velho e histórico ele fica, mais me interesso por ele, hahaha." achei fofinha essa frase haha

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Oi Gabi! Terei um enorme prazer em ajudar nas suas histórias!
      Beijinhos ♥

      Excluir
  2. Oi Grazy!
    Estou no terceiro período do curso de História, e só pra comprovar que não somos calendários, só descobri essa manhã que hoje era nosso dia rsrs
    Acho que aqueles que se casam com historiadores são sortudos, porque nunca faltará assunto para a mesa de jantar e sempre aprendemos umas curiosidades que são boas de serem compartilhadas rs
    Adoraria ter uma máquina do tempo, ser uma testemunha ocular seria um prazer haha
    Acabei de conhecer seu blog por causa dessa postagem maravilhosa e acabei adorando o jeitinho como você escreve, vou ter que ficar mais tempo por aqui rs
    Beijos, historiadora ♥ '

    www.princesasadoradoras.com.br

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Que máximo Thaís! Espero ver você sempre por aqui, bem vinda!
      Beijos ♥

      Excluir
  3. Que post interessante!
    Não conheço pessoalmente muitos historiadores, então foi bem legal ler seu relato!
    Quando eu estava no colégio aconteceu uma coisa muito parecida com isso que você contou no item 4!
    Beijo

    ResponderExcluir
  4. Acho que quem tem que comentar esse post é o Sr. Marido, eu só tenho a dizer que eu dei sorte em casar com um historiador, no caso, um professor de história, que é o que ele gosta de ser...

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Eu sempre digo que um dia eu ainda vou querer lecionar novamente Rita, porém nesse momento, estou super saturada. Não consegui me recuperar dos ano em classe... Aguardo o Sr. Marido aqui então! Beijos!

      Excluir
  5. Nossa, deve ser muito comum mesmo as pessoas te perguntarem coisas né? Como se vc tivesse obrigação de decorar tudo nessa vida.
    Achei esse post muito legal porque nunca conheci ninguém formado em história!
    "a profe não é nazista" hahaha muito bom esse item xD professor sempre passa por situações desse tipo, impressionante..

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Me arrependo de não ter anotado ou fotografado algumas pérolas dos meus alunos. Iam render bons posts!
      Beijos :)

      Excluir
  6. Parabéns pelo seu dia!! Comemoramos juntas então.. Eu com a Fotografia e você com a História.. E olha que legal a semelhança nas profissões..

    Registros que são lembrados e pessoas para estudá-los!

    Eu amo história e imagino como vc deve sofrer com as pessoas perguntando DATAS pra vc hahahahahhaa.. E eu quero uma maquina do tempo tbm <3

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Obrigada Clayci. Não sou profissional, mas amoooo fotografar e quebro um galho, hehehehehe. Parabéns pra você também!
      Beijos.

      Excluir