Livro - Os Desaparecidos: A procura de 6 em 6 milhões de vítimas do holocausto



Terminei de ler esse livro no início da semana e eu estava em dúvida se ia ou não publicar alguma resenha sobre ele. Ele é um ótimo livro, um livro que eu indicaria com toda a minha alma de historiadora! Mas ele é triste. Por vezes senti meu corpo estremecer, a garganta travar e as lágrimas molhando meu rosto. É um livro triste. Mas que merece ser lido, ser lembrado, ser passado para frente.

Dei esse livro de presente pro meu avô, que gosta muito de ler. Achei a temática interessante. E é. Espero que ele tenha aprendido tanto quanto eu sobre. Sobre o que foi o holocausto, um holocausto que não conhecíamos, nem vimos na TV, nem nos filmes.

Daniel Mendelsohn é de família judia e sempre ouvia seus tios-avós falarem o quanto ele se parecia com o Tio Shmiel "aquele que foi mortos por nazistas". Enquanto ia crescendo a sua curiosidade acerca da história do irmão do seu avô crescia. Descobriu que eles viviam numa vila chamada Bolechow, na Ucrânia, e viviam entre ucranianos, poloneses e outros judeus. Era uma família de seis pessoas: o pai Shimiel, a mãe Ester e quatro meninas: Lorka, Frydka, Ruchele e Bronia. O livro conta as viagens que Daniel fez para conhecer os judeus sobreviventes de Bolechow que se espalharam pelo mundo a fim de reescrever não a história de como seus parentes morreram, mas como eles viveram em tempos de paz.

Essa leitura me fez pensar muito no ofício do historiador: por mais fontes que a gente encontre sempre vai faltar um pedaço, ou perderemos com o tempo ou com a morte uma fonte debaixo do nosso nariz. Também me fez perceber que o holocausto foi mais que uma guerra nazista, mas que havia outros povos com ódio dos judeus (no caso desse livro os ucranianos). Assim como todo povo tem seu lado mau e bom, alguns ucranianos e poloneses ajudaram a deixar vivos aqueles que escondiam, aqueles que puderam contar a história e o que viveram.

O livro contém relatos surpreendentes e chocantes das Aktions que tiraram a vida de milhares de judeus. Histórias de torturas, maus tratos e de maldade humana estampadas em páginas que nos fazem emocionar, nos fazem repensar a passagem dos humanos na Terra, nos fazem querer que todos saibam o que aconteceu pra que nunca mais se repita. Nessa vila minúscula em particular mais de 6 mil judeus morreram em um intervalo de 3 anos. E a lista de crianças era enorme.

Concluo minha resenha dizendo a você leitor, amante ou não de história, que repense e repasse o que sente em relação a esse episódio tão negro na nossa história. Por mais que não façamos parte desses povos (judeus, alemães, ucranianos ou poloneses) somos humanos e temos a missão de manter o mundo em paz para que nunca presenciamos o que eles presenciaram. Não esqueça e não se deixe esquecer.



O livro é da editora "Casa da Palavra" e tem 511 páginas. Sua leitura é detalhada e por vezes cansativa, mas o esforço vale a pena quando temos que relembrar. É um marco do holocausto que não virou filme, então acaba sendo um relato inédito. Um livro excelente, tocante e muito bem estruturado.

XoXo,
Grazy

14 comentários

  1. Nunca livres sobre nazismo (exceto por O Leitor que se passa na época), tenho medo de não conseguir digerir sabe? Mas deve ser bem mais real que os filmes, que já vi um monte...O que mais me marcou sobre o tema foi A Lista de Schindler, a frieza das mortes e violência nesse filme foram muito impactantes pra mim :( Tenho vontade de fazer turismo na Alemanha pra conhecer os locais por curiosidade histórica mesmo, acho que um livro desses ia ser tão bom quanto um guia nesse caso. Mas é difícil, só de pensar no conteúdo já me arrepio. :(

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Bessie, depois da facul de história me adaptei a essas leituras. Mas ainda não é fácil segurar as emoções de ler os relatos...
      Beijinhos

      Excluir
  2. Impossível não se emocionar com esse tema, né? Eu adoro história e sempre acho válido a gente se aprofundar em temas que parecem esgotados, mas que ainda rendem ótimos relatos!

    ResponderExcluir
  3. Eu ando com medo... medo de coisas que ouço por aí, que leio e que vejo... Parece que ao invés de progredir, estamos em um momento no nosso país, que estamos regredindo... Vejo discordância, rancor e ódio por todos os lados e isso me assusta exatamente pelo fato de saber as consequências disso na história do mundo, e nem é uma história tão distante assim, basta olharmos para nós mesmos a 40 anos atrás... E fico lembrando e relembrando o texto de Adorno, Educação contra a Barbárie, que estudei no mestrado, enfim, que seja apenas impressão e que logo voltemos a progredir.
    Gosto de livros assim, mesmo eles sendo tristes, nos faz refletir demais sobre nossa própria situação. Já coloquei este na minha lista, obrigada pela dica.

    Tenha um ótimo fds Grazy.

    Beijitos

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Oremos para que essas impressões sejam apenas coisinhas passageiras e não um aviso sobre um mal! Também tenho tido essas impressões, infelizmente.
      Até mais!

      Excluir
  4. Fiquei ultra curiosa com esse livro, mas vou tentar encontrá-lo principalmente para minha irmã: por mais que eu tenha seguido uma carreira com mais ligação com história do que ela (que faz veterinária), é ela quem aaaama de paixão, devora livros sobre o assunto e o holocausto sempre mexe muito com nós duas!
    É realmente incrível quando a gente encara o fato de que ninguém é absoluto, né? Por mas que você seja especialista em algo, não vai dar pra saber tudo e vai ser sempre maravilhoso descobrir algo novo!

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Esse livro foi uma grande descoberta! Beijos Luly!

      Excluir
  5. Fiquei super interessada no livro. Apesar de ser triste tudo o que aconteceu, não podemos esquecer disso pra não acontecer de novo né?
    Muito boa a dica.

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Se ler venha me contar suas impressões Michelli! Beijos!

      Excluir
  6. Puxa, parece se tratar de uma leitura bastante intensa. Adorei a dica! <3

    ResponderExcluir
  7. Guerra é sempre um assunto bem delicado. Nunca li esse livro, mas acho que procurar ele na web.

    www.semsorte.com

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Se você ler venha me contar suas impressões sobre! Até mais Gabriel!

      Excluir