Featured Slider

Thor: Ragnarok

Já tem quase um mês que desapareci. Peguei uma baita gripe no feriado do dia 02 e fiquei umas duas semanas quase que impossibilitada de ser criativa ou ter saco pra escrever. E é verdade que ao longo desses dias eu assisti tanta coisa, li algumas outras e estou cheia de resenhas pra trazer.


Na terça-feira após a estreia de Thor estávamos no cinema pra conferir. Li alguma coisa sobre ser um filme engraçado então já sabia que ia rolar muita piada. E confesso que nunca vou com a expectativa no alto por mais fã que eu seja do MCU. Assisto esperando apenas me divertir e quem sabe me surpreender.

No filme da Marvel Studios, "Thor: Ragnarok", Thor é preso do outro lado do universo, sem o seu martelo poderoso e encontra-se numa corrida contra o tempo para voltar a Asgard e impedir Ragnarok - a destruição do seu mundo e o fim da civilização Asgardiana -, que se encontra nas mãos de uma nova e poderosa ameaça, a implacável Hela. Mas, primeiro precisa de sobreviver a uma luta mortal de gladiadores, que o coloca contra um ex-aliado e companheiro Vingador - Hulk.
Primeiro preciso falar sobre o visual do filme: achei espetacular. Essa atmosfera mais colorida me deixa muito confortável. Sobre a história: gostei. Não conheço o Ragnarok dos gibis, apenas os dos livros de mitologia. Não esperava algo trágico demais até porque, apesar do título, o tema central não seria a destruição em si, mas o processo de perdas. Perde-se o martelo. Perde-se no universo. Sabe que seu lar está semi perdido.  Thor precisa se reinventar de certa forma. Ele está diferente, não apenas fisicamente, mas ele não é mais um cara inexpressivo. Ele passou um tempo na Terra, conviveu com humanos e ele não parece mais durão, parece mais humano do que deus. Gosto dessa humanidade dele, a simplicidade de como ele vê as coisas novas, de como trata seus próximos.


Nesse novo filme temos o Loki novamente, meu personagem preferido desse lado da MCU. Ele está mais egocêntrico, coisa que era quase impossível de se imaginar já que ele sempre se tratou como o centro do universo (seria Loki um leonino?). Hulk mostra-se menos humano e mais músculos, mas divertido. Bruce Banner é o cérebro, Hulk não. Os novos personagens são bacanas, porém eu queria ter sentido um pouco mais de ódio da vilã Hela, ela é impiedosa e implacável. Mas não tem como odiar Cate Blanchet. Queria ver mais da cena das Valkírias lutando contra Hela, o visual era impecável! Foi tão rápido...


O filme tem lá seus problemas. Eu só consigo me apegar afetivamente ao Loki, ninguém mais. As piadas estão lá em 90% do filme, mas o filme não está classificado como drama não é mesmo? Gostei bastante do desfecho e das possibilidades que esta abre, além do gancho da cena pós-crédito.  Não vejo a hora de poder rever. Não é o meu filme favorito de todos, mas no quesito Thor é o melhor!

Para finalizar, não deixem de ouvir "Immigrant Song" do Led Zeppelin, que foi música tema no trailer e ouve-se ela em duas grandes ocasiões no filme, que combinam perfeitamente! A letra da música fala sobre Valhala, deuses com martelos e guerras. Parece que escolheram bem né?!

Você já assistiu? Conta pra mim!

XoXo,
Grazy

Kingsman - O Círculo Dourado

Quem me conhece sabe que gosto bastante de um filme inglês, ainda mais quando ele tem várias referências não somente dos antigos filmes do James Bond, mas também referências da cultura pop e um estilo bem característico. O primeiro Kingsman (leia a resenha aqui) me surpreendeu positivamente. Mas será que "O Círculo Dourado" mantém um nível ou cai na chateação das continuações baratas e sem noção?

Um súbito e grandioso ataque de mísseis praticamente elimina o Kingsman, que conta apenas com Eggsy (Taron Egerton) e Merlin (Mark Strong) como remanescentes. Em busca de ajuda, eles partem para os Estados Unidos à procura da Statesman, uma organização secreta de espionagem onde trabalham os agentes Tequila (Channing Tatum), Whiskey (Pedro Pascal), Champagne (Jeff Bridges) e Ginger (Halle Berry). Juntos, eles precisam unir forças contra a grande responsável pelo ataque: Poppy (Julianne Moore), a maior traficante de drogas da atualidade, que elabora um plano para sair do anonimato - Adoro Cinema
Eu não sei por onde começar sem dar spoiler! A verdade é que curti demais o segundo filme. Não fui com grandes expectativas. Cheguei ao cinema esperando ver o que vi no primeiro filme e igualou-se na forma como eu gostei de ambos. Li muitas críticas dizendo que este filme é fraco, porém, acredito que as pessoas aumentam suas expectativas ao além por terem visto um bom trabalho no primeiro. O segundo não deixa a desejar não.

A sinopse do Adoro Cinema já trabalha a história. A traficante Poppy quer sair do anonimato então transforma suas drogas em uma espécie de doença que só pode ser combatido caso os líderes aceitem liberar as drogas e nunca mais discriminá-las, assim ela libera a cura. Não é segredo pra ninguém que Colin Firth volta para seu papel como Galahard o que traz também novas esperanças para a reconstrução da Kingsman que já no início sofre um grande atentado.

Destaque para a produção, incrível, tanto na montagem da vila da Poppy em estilo anos 50, quanto para a ambientação da Statesman, uma fábrica de uísques, contrapondo a Kingsman e sua ambientação como alfaiataria. Meu amado Pedro Pascal (♥♥♥) é o destaque para as cenas de ação, onde usa seu chicote no melhor estilo Beto Carrero!


O Círculo pode não ter a surpresa que o primeiro filme traz, mas é um ótimo exemplo de como sequências podem ser boas e revelar que novas caras são bem vindas para inovar. Ainda está em exibição em alguns cinemas!

Você assistiu? Conta pra mim!

XoXo,
Grazy

Balneário Fashion Show - Verão

No finalzinho de setembro eu tive o prazer de estar novamente na primeira fila do Balneário Fashion Show, evento de moda aqui da cidade que traz as novidades da estação que está por vir. Nesta edição de três dias o evento mostrou 12 lojas do segmento adulto, todas elas com lojas no shopping que sedia o evento, o Balneário Shopping. A bocó aqui não foi fotografada e eu estava tão cansada e corrida de trabalho que nem fotografei os meus looks, haha. 

Para o post ficar bem gostosinho de ler eu separei 1 look (foi difícil hein) de cada desfile e que foram os meus favoritos!

O primeiro dia foi aberto com o desfile da Yacamin, marca total catarinense que tem uma identidade bem forte com tecidos orgânicos fluídos, tingimento manual e muito, mas muito artesanato. Apaixonei em praticamente todos os looks. O dia seguiu com o desfile da Salinas, grande marca de beachwear e que acabou de inaugurar aqui na cidade. Gostei muito das estampas, como essa de borboleta e da modelagem das partes de cima dos bíquinis. As saídas de praia eu usaria perfeitamente em alguma festa porque são muito bonitas. Teve também a presença da Arezzo, com bolsas e sapatos de ótima qualidade e com diversas texturas e temas. Essa mochila tem até uma língua de fora e está na tematização meio monstro, haha. E fechando o dia tivemos o desfile da Dudalina, que acaba caindo no mais do mesmo da camisaria e roupas sóbrias, mas eu não dispenso nenhuminha peça preto, cinza ou branca com listras ♥

No segundo dia morri de amores pelas peças da Adidas Originals. Pode me dar tudo isso que é estampado,principalmente os shortinhos! Em seguida o que me chamou a atenção foi essa transparência da Le Lis Blanc, que também tem um segmento de roupa mais série e sofisticada. Gosto muito do ar navy que a Tommy Hilfiger traz e babei nessa combinação com pontinhos. Pra fechar o segundo dia o desfile rocker da John John que tem essa pegada bem jovem e despojada. Amei essa camiseta de vampiro e a sobreposição que lembra teias de aranha (apesar de eu morrer de medo de aranha).

O último dia pude babar no óculos em forma de gatinho da Chilli Beans e nos modelos vintage da marca. Amo óculos de sol e agora que sou míope babo nas armações. Seguido aos acessórios incríveis desfilou a Levi's, com as camisetas icônicas e os jeans cheio de atitude. Amei esse com rasgos e bordados. Lindo e despojado. O desfile da Fórum, para mim, foi o mais sem sal possível. Coloquei esse vestidinho porque foi o que eu mais gostei mesmo, mas não compraria :/. Enfim, o evento fechou com o desfile da Calvin Klein Jeans, que só arrasa. Olha esse look estampado todo combinandinho ♥.

No segundo dia tirei uma foto bem tiete com o Armandinho. E no terceiro dia aconteceu algo que me deixou meio sem reação: dois rapazes pediram pra tirar foto comigo porque eles estavam só observando meus looks no evento e me consideraram muito fashion. Fiquei lisonjeada, claro, mas bem sem jeito porque sou tímida, por incrível que pareça. Um beijo pro Ediorger e pro Luiz, queridos, que fizeram eu ganhar o mês, haha.

Dos looks que eu escolhi qual você mais curtiu? Conta pra mim!

XoXo,
Grazy