O dia em que eu quase fui pra Disney

Oi gentem! Deixa eu tirar as teias de aranha aqui desse lugar né?! E contar algumas coisas pra vocês.
Essas últimas semanas não tem sido muito fáceis não. Não ia falar de nada disso aqui no blog, até porque ninguém é obrigado a ficar lendo mimimi alheio. Mas tem quem se importe e também, escrever, exteriorizar certas coisas faz mó bem.

Do feriado pra cá aconteceu muita coisa ruim: briga na família sem motivo real mas que deixou gente magoada, perda de um ente querido na família do meu marido, uma depressão real mas sem motivo nos meus dias e que foi seriamente pontuada por um episódio bizarro: o dia em que eu quase fui pra Disney.

Estava eu lendo uns trecos na internet quando o telefone toca e uma moça quer falar com meu marido. Era referente à alguma ação da Sky (a TV por assinatura) e ela falou algo sobre Viagem em Família. Disse que ele não estava e confirmei o email dele e corri no Whats App pra falar pra ele sobre a ligação ao mesmo tempo, eufórica, eu entrava no site da promoção. Era sério, entraram em contato com ele e tínhamos ganhado a viagem. AeEEEeeeeeEEEw! Mas, precisavam do comprovante de passaporte e visto até às três horas da tarde.

Meu mundo caiu.

Sou brasileira. Nunca viajei de avião apesar de viverem dizendo que ultimamente pobre tem viajado de avião. Nunca sai do sul do Brasil, a não ser a vez que fomos à Bernardo de Irigoyen, na fronteira Brasil-Argentina. Meu marido, idem. Até pensamos em planejar uma viagem, mas por enquanto a gente ganha pra pagar as contas. Passaporte custa dinheiro. Tirar visto, para a gente,custa uma fortuna porque precisamos bancar uma viagem pro Rio de Janeiro ou São Paulo (eu moro em Santa Catarina), fora as taxas para se pagar o visto.

Eu chorei. Chorei saindo pra trabalhar. Chorei no escritório. Chorei em casa, Chorei contando pra minha mãe. Fomos desclassificados sem ganhar nem um mês-inho sequer de assinatura grátis. Chorei de raiva de não ter os documentos, mas quando eu imaginaria passar por isso? Chorei e culpei meu marido por não ter lido o regulamento direito e ter me colocado nessa. Depois chorei de culpa. Devo ter dormido umas 3 horas naquela noite.

No outro dia, já menos nervosa, fiquei pensando em quantas pessoas devem passar a mesma raiva que eu. Pelo que li ai pela internet pouquíssimos brasileiros possuem passaporte, bem menos conseguem o visto americano. Vendo de outra forma, não teria como simplesmente ir ali na esquina e dizer: "moço, me vê um visto americano aí no capricho!". Ai raciocinei um pouco mais sobre como o regulamento é cruel com quem não presta atenção, ou não lê, como a maioria dos brasileiros que participam de promoções. Eu mesma só leio esses de blog pra ver onde eu preciso compartilhar a imagem!

De todas as formas, infelizmente, não é dessa vez que verei algo do Piratas do Caribe tão de perto. E dessa vez a Sky só deu uma ajudinha a mais pra quem já iria ou já foi pra terra da fantasia. Só cheguei à conclusão de uma coisa: "em terra de Netflix, quem paga Sky é meio bocó".

Mas vamos continuar sonhando né?

XoXo,
Grazy

6on6 - Detalhes

Oi gente! Um post atrás do outro meio que "síndrome pós BEDA"? Mais ou menos! Hoje eu venho trazer mais uma seleção de fotos do projeto 6on6!

No domingo passado eu fui conferir o Preview do Santa Catarina Custom Show, que rolou lá no Food Park da Barra Sul, aqui em Balneário Camboriú. Eu adoro o SCCS, mas esse ano vai coincidir com minha ida pra serra e não vou poder ir. Pra matar a vontade de ver os carangos de época fui dar uma olhada no Preview.

Eu amo os detalhes dos carros e motos antigos. Tudo era pensado de forma que ficasse mais bonito de se ver. Hoje em dia você não percebe tantos bons detalhes cromados nos carros, por isso adoro fotografar esses "velhinhos". Espero que vocês gostem da seleção!

Cliques feitos com a Nikon D5300 do meu ♥


Detalhe de um "Fuquinha"


V8 lindo cromadão de uma Ford F-100


Lindo o símbolo na Ford F-100.


Meu sonho de conhecer uma moto Indian realizado. Linda demais! Esse é o detalhe de uma das bolsas de couro.


Eu amo, amo Karmann-Ghia, é um carro lindo e cheio de atitude. Esse vermelhinho eu sempre vejo no Custom Show. Olha o detalhe caprichado da VW.


Outro detalhe da moto Indian que estava por lá. Não é de ficar apaixonado?

Ama carros e motos antigos? Vai estar de passagem aqui por SC? O Santa Catarina Custom Show vai rolar nos dias 11 e 12 de junho no Centro de Eventos da Marejada, em Itajaí. Vou estar viajando, mas mesmo assim convido quem pode para aparecer porque super vale a pena!

Confira também o blog das outras meninas participantes: Laura |  Dêh  |  Anna  |  Milena  |  Isabella  |

Qual foto é a sua preferida?

XoXo,
Grazy

Cinema - Capitão América: Guerra Civil

Na última terça eu fui conferir o novo filme da Marvel. Capitão América: Guerra Civil. Não sou lá muito fã do Capitão América, confesso que não gosto dos personagens certinhos demais (por mais que eles sejam divinamente maravilhosamente lindos). E ele é certinho demais e um gentleman. Craaaaaro que eu gosto de rapazes bem educados, mas ele é um supersoldado e poderia ser um pouquinho "menas" né?

Esse post pode ter spoiler, mas de leve. Não entendo ao certo o que é spoiler então me perdoem. Beijos.

Guerra Civil começa com um super-herói fazendo uma merdinha e matando alguns civis. Normal. Mas aí o governo percebe que isso não é bacana e quer tacar uma medida para controlar esses heróis. Afinal, o mundo recebe ataque de super-vilões e precisam de heróis para salvá-lo e não vigilantes. Assim, é estipulado que os heróis retirem suas máscaras e assumam os feitos que acabam cometendo. O governo indicaria as missões para cada herói e assim, eles seriam mais controlados.


Tony Stark, Homi de Ferro, é cobrado por uma mãe que perdeu seu filho. Acaba sentindo o peso de ser um herói que na sua missão acaba machucando inocentes. O Rogers, Capitão, sente que eles merecem continuar sendo heróis sem ser "manipulados" pelo governo, que os heróis deveriam fazer o bem para qualquer civil e não pelos que o governo estipularia. Na cabeça do Rogers, estar contra a lei seria exercer a sua liberdade.

É claro que cada um tem o seu ponto de vista e vejo que muitos personagens encontravam-se bem divididos em relação ao Registro. Assim como no livro (eu li, e vou resenhar nos próximos dias), muitos personagens se pegavam pensando no que seria realmente certo. Acredito que como qualquer humano diante de uma decisão tão grandiosa.

Acabei sendo #TeamIronMan desde o início. Primeiro, por me identificar com o personagem. Segundo, por me identificar com a postura do personagem em relação à lei. Percebi a mesma essência no Tony do livro e do filme (claro que no livro - adaptado da HQ - ele é bem mais pau no ☼).


Sou apaixonada pelas cenas em macro do Homem Formiga, acho genial demais! E fiquei encantada com as cenas de voo do Homem Aranha (além de ter achado ele fufi e engraçado como deveria ser). Gostei muito do personagem Pantera Negra e posso esperar grandes coisas do filme solo deste. Os demais, parabéns. Por mais que Steeeeevie tenha me dado vários acessos de nervos por sua imaculada paixão pelo seu velho amigo, até gostei dele e do Bucky. Até entendo essa obsessão, afinal, ele é a única coisa que o remete à sua vida antes de virar picolé. Mas podia ser bem menos.

Gostaria de dedicar um parágrafo todinho para o vilão Zemo. Acredito que ele vai aparecer em outro filme e que explorem mais, afinal, esse ator é um primor. Eu gosto muito do trabalho do Daniel Brühl, amo seu papel em Bastardos Inglórios (2009) e Rush (2013). Ele fez alguns outros filmes bons e atuou muito bem. Queria ver mais dele, sério!

O livro adaptado da HQ é diferente sim do filme (vou falar dele, sério!). Mas acredito que como o Universo Cineomatográfico da Marvel tomou seus próprios rumos, assim como muitos personagens são licenciados por outras empresas de cinema, Guerra Civil tem uma ótima história de conclusão e que deixa as portas abertas para a inserção de novos personagens, amadurecimento de outros e uma história gostosa e diferente para a gente acompanhar.

Você viu? Quer ver? Me conta aê!

XoXo,
Grazy

Teve gente dizendo nos fóruns que quem era do #TeamIronMan deveria assistir o filme novamente porque não entendeu. Por favor, menos política e mais diversão nesse coração! Um beijo :*