Featured Slider

Alguns motivos para você assistir "La Casa de Papel"

La Casa de Papel é uma minissérie espanhola produzida pelo canal Antena 3 e que chegou ao Netflix em duas partes, a primeira saiu em dezembro e a segunda parte no último dia 06.

A história gira em torno de um grupo que invade a Casa da Moeda Espanhola para imprimir seus próprios 2,4 bi de Euros. Encabeçada pelo "Professor", um misterioso homem que recrutou oito pessoas com diferentes habilidades. O plano consiste em 11 dias de reclusão para que todo o dinheiro fosse impresso com a ajuda dos reféns, sem o uso da violência.

O que me interessou no plano é eles terem pensando nas diversas possibilidades e estarem sempre alguns passos à frente apesar de que algumas coisas saem do controle. Qualquer crime deixa rastros, ainda mais quando se envolve mais pessoas. Por mais profissionais que os sequestradores sejam, encontrar-se reclusos em uma situação estressante pode fazer com que sentimentos aflorem, sejam eles amor ou ódio.


Essa série faz você se deparar com uma torcida pelos "vilões". Eles são humanos, tem personalidade forte e são charmosos e engraçados, fortes e sensuais. É esquisito que, de repente, tu torça para que o plano dê certo. Por outro lado você odeia fortemente alguns reféns e quer socar a cara de meia dúzia. O mesmo asco surge por alguns membros da força policial. É uma experiência bem diferente considerando o que estamos acostumados a assistir.

O visual dos sequestradores tornou-se parte da cultura pop. Essa semana eu estava vindo pro trabalho e vi na vitrine da loja de fantasias o tão conhecido macacão vermelho e a máscara do Salvador Dalí. Me deu vontade de alugar e ir no banco sacar vintão! Fico pensando em quantas pessoas acabaram conhecendo arte surrealista pesquisando quem era o zólhudo da máscara da série. Dalí é o novo V!


De repente você se sente tentado a viajar! O codinome dos sequestradores são nomes de famosas cidades: Tókio, Rio, Berlim, Nairóbi, Denver, Moscou, Oslo e Helsinque. E se você pesquisar sobre essas cidades percebem que elas tem a ver com a personalidade dos personagens e isso acho bem legal. Por exemplo: Rio é o mais jovem, feliz, apaixonado e meio malandrinho. Tókio é séria e fechada em seus sentimentos. E por aí vai.

A série, apesar de ter alguns furos só perceptíveis quando você assiste mais de uma vez, é do tipo que tem começo, meio e fim. Ela te prende com uma história e a história se finda. Até me sinto irritada com a choradeira dos BR's pedindo uma "terceira temporada". Porrãn Netflix, mó cagada dividir em duas sendo que não sabemos diferenciar partes de temporadas. Mas brincadeiras ou não à parte ela é uma ótima minissérie e não necessita de nenhuma continuação. Acabou. Se conformem!

Apesar de não ter curtido tanto a última cena (não quero soltar spoiler para quem não assistiu), La Casa de Papel é uma minissérie boa de se ver, com o diferencial de ser espanhola e ter um ritmo e produção diferentes, te prende e te faz amar e odiar personagens. Tem os elementos certos para que fique na memória de quem o assiste. Se eu fosse dar uma nota eu daria 4,5 de 5!

Já assistiu? Conta para mim o que tu achou!

Bella Ciao,
Grazy

Hiatus e um roxo na vida.

Não sei como nem quando eu entrei em hiatus em relação ao blog. A verdade é que meus rascunhos aumentaram de repente eu não conseguia mais criar. Nem fotografar. Nem escrever. O que posso contar pra vocês é que é uma vida dura essa de blogar sabe? Você quer trazer um conteúdo supimpa pros leitores. Você quer fazer as melhores fotos. Sempre compartilhar aquilo que amou. Mas a verdade é que nem sempre o ânimo pra isso aparece e eu prefiro sumir daqui do que trazer um conteúdo sem graça. Sem sal.

Como diria o Willy Wonka do remake, protagonizado por Johnny Deep: "Eu faço os doces que sinto vontade. Como eu me sinto péssimo os doces saem péssimos", agora troque doces por posts. Todos os posts estavam saindo uma droga. Não sei se era o tempo quente e úmido. Ou momentos de depressão e ansiedade. Ou tudo isso junto misturado com um cansaço e então eu chegava em casa e só queria ver televisão. Mas vou dizer uma coisa pra ti, queridx leitxr: eu tô querendo fazer melhor!


DEUS AJUDA QUEM CEDO MADRUGA

Tenho acordado mais cedo que o habitual. Tomado vitaminas. Colocado as atividades em dia. Tento não acumular mais roupa pra lavar, ou lixo para tirar ou bagunça para arrumar. Acredito que quando as coisas no nosso ambiente vão se ajeitando as nossas ideias fluem com mais facilidade. Ainda me atraso, ainda não encontrei o melhor jeito de otimizar meu tempo, mas certos hábitos são adquiridos com o tempo né? O melhor que faço para mim é adiantar tudo o que posso e o restante fazer quando dá e conforme dá. Sem cobrança.

ROXO IS THE NEW ME

Depois de quase um ano com o cabelo loiro para o cinza decidi tingir de roxo. Quem me segue nas redes sociais já viu uma foto rolando. Ainda vou contar aqui no blog a saga do cinza. Adorava meu cabelo cinza mas me deparei com o fator idade e percebi que daqui a alguns anos pra frente vou ter meu cabelo cinza ao natural, sem descolorir ou tinta fantasia. Decidi me aventurar por cores e vamos ver no que vai dar. É esquisito porque a cada máscara e matização ele fica diferente. Vamos explorar!

LEITURAS: O QUE É E DO QUE SE ALIMENTAM

Tá difícil manter minhas leituras em dia até porque no meio tempo jogo Solitaire, The Secret Society e às vezes The Sims 4. Mas terminei um livro bem legal sobre uma aventura do Rocket Racoon e do Groot, do Guardiões da Galáxia. Provavelmente vou falar desse livro pelo Instagram porque não há muito o que comentar. Só aguardo inspirações para fotografá-lo. A real é que a Marvel tomou conta da minha vida, se não em filmes, nas séries e nesses livros que estão surgindo. E eu que achava que depois de Harry Potter eu jamais me apaixonaria por algo...

LER E COMENTAR PARA INSPIRAR

Estou adicionando os blogs que gosto de acompanhar no Feedly, assim não perco nenhuma publicação e posso stalkear geral. A verdade é que preciso de bastante inspiração então estou seguindo vários perfis bacanas com trabalhos diferenciados que não são meu ramo, como ilustração. Vale a pena encher os olhos e curtir trabalhos lindos.

Acho que por enquanto é isso. Hoje começa um evento bem legal aqui na região, então quem quiser acompanhar pode me ver no Instagram. Também renovei o passaporte do Beto Carrero, então logo crio conteúdo de lá. Parece que aos trancos e barrancos a vida toma rumo certo e a gente se anima.

Pantera Negra

Demorei mais do que eu gostaria para fazer um review de Pantera Negra por motivos de não estou sabendo lidar. O filme foi marcante por diversos motivos, que serão explorados nesse post, e por abrir uma nova fase no MCU. Talvez isso seja coisa da minha cabeça mas é a impressão que eu tive ao acompanhar esse filme maravilhoso.

Pantera Negra se passa após os eventos de "Capitão América: Guerra Civil" onde fomos apresentados ao príncipe T`Challa. Nesse novo filme ele retorna ao seu país natal, Wakanda, onde passará pelos rituais para se tornar rei. Porém, um perdido membro da família se revela e deseja o trono. T`Challa precisa encontrar uma forma de manter seu povo salvo e feliz e ao mesmo tempo decidir o destino de Wakanda perante o resto do mundo.


Primeiro preciso dizer que o filme segue com a qualidade estonteante de cenas de ação e efeitos que a Marvel produz. Além disso manteve a expectativa dos fãs do universo nas alturas, com boas referências e trilha sonora totalmente condizente, tanto no que diz respeito à Wakanda quanto à periferia na Califórnia. Senti que o vilão não foi tão aproveitado, mas isso é bem comum nos filmes da Marvel, filmes curtos onde exploram outros lados da história. Porém confesso que a marra dele me deixou profundamente irritada.

Tu quer representatividade? Dos atores do filme 90% são negros, como era de se esperar sobre um filme de uma comunidade africana. Além disso ele traz a música e a cultura da África de forma compacta e que funciona numa comunidade praticamente fictícia. Os elementos são visíveis e lindos. Além disso as mulheres do filme tem forte impacto e não aparecem como elementos românticos. Nakia (ex do T`Challa) é visivelmente uma mulher preocupada com o mundo e quem vive nele, é bem ativista. A irmã dele, Shuri, é uma brilhante cientista, inventora capaz de transformar vibranium no que quiser. Okoye é a general do que podemos chamar de exército real, que também é composto apenas de mulheres. Okoye é minha personagem favorita! Não é clichê. É palpável. E lindo.


É um acerto em cheio da Marvel. Tem ação e apenas uma pitada de comédia, o que me leva a crer que estamos entrando em uma era onde os filmes vão mudar um pouco seu foco. Sabemos que Guerra Infinita nos trará algumas perdas e acredito que Pantera Negra é a transição do cômico para o maduro, mas não acredito que será dark e nem espero que seja.

O importante é que Pantera Negra é, além de representatividade, um diferencial do universo MCU sem perder a essência que o torna parte desse universo. Um filme cheio de história e momentos memoráveis. Não vejo a hora de rever.

Você viu? Conta pra mim!

XoXo,
Grazy